quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Rock News: "Não me importo com a pirataria", diz Jon Anderson, ex-líder do Yes

Chamar Jon Anderson, ex-vocalista da lendária banda Yes, de progressivo pode ser o maior dos clichês. Mas o multi-instrumentalista de 67 anos realmente pensa à frente do seu tempo. Depois de cantar mais de 30 anos com o grupo inglês, se apresentar com orquestras e acabar de voltar de turnê com seu ex-parceiro de banda, o tecladista Rick Wakeman, Anderson embarca agora em um show solo tocando apenas instrumentos acústicos. No Brasil, o músico já passou pelos palcos de Florianópolis, Porto Alegre e Goiânia e, agora, se apresenta nesta terça-feira (13) em São Paulo, no Citibank Hall.

De voz bastante aguda, Anderson contou por telefone ao Terra que a música não é só pelo dinheiro, e que não se importa com a pirataria; pelo contrário, os artistas vão saber o que fazer para superar isso. "Não me importo nem um pouco com a pirataria. Música é criada para a música e não pelo dinheiro. Então, eles vão inventar uma nova maneira (de ganhar dinheiro) que será exatamente como deveria ser", explicou.

Antes de tratar a internet como inimiga, o inglês se mostrou curioso e disponibilizou sua mais recente música, Open, gratuitamente para download. "Eu estava pensando em alcançar o maior número possível de pessoas na internet, porque essa é a nova loja de música. Eu queria ser parte dessa nova experiência", disse.

Além de se mostrar ciente com a nova forma de se consumir música, Anderson contou sobre sua saída do Yes, em 1980, o seu futuro e da banda e também sobre a música progressiva, no qual conta que sempre houve espaço para ela, mesmo na era das músicas de poucos minutos ¿ comercialmente aceita pelas rádios.

Confira a entrevista completa com Jon Anderson:

Terra - O que os paulistanos podem esperar de seu show? Teremos músicas de toda sua carreira?
Jon Anderson - Sim, é como se fosse a história da minha vida. Eu canto músicas do Yes, do Jon & Vagelis (projeto formado com o músico grego Vangelis em 1979) e também algumas canções novas. Eu irei tocar violão, dulcimer, ukele e piano. Então, será muito interessante estar no palco sozinho, vou curtir e a plateia também.

Terra - E por que você decidiu não trazer nenhuma banda?
Jon Anderson - Eu achei interessante fazer o oposto de ter um grupo. Eu toco com orquestras e músicos de todos os cantos, mas quando faço meu projeto solo parece muito natural estar sozinho. Me sinto feliz sozinho, é muito divertido para mim.

Terra - E como foi tocar sozinho pela primeira vez?
Jon Anderson - Foi meio assustador porque eu fiz um show com efeitos de guitarra, bateria e teclado em MIDI, assim eu poderia ter mais música a minha volta. Eu fiz isso por umas 30 vezes aí pensei: 'vou tentar apenas acústico'. Sinto que é natural porque foi como eu compus estas musicas em primeiro lugar. Foi assim que escrevi as músicas para o Yes no começo.

Terra - Então veremos Jon Anderson mostrando seu lado mais simples?
Jon Anderson - Sim. Eu não toco muito violão, eu apenas bato lá e gosto de cantar.

Terra - E como você e o tecladista do Yes, Rick Wakeman, começaram o projeto Anderson/Wakeman. Vocês estão planejando lançar outra parte do disco ao vivo Living Tree?
Jon Anderson - Nós fizemos um show seis anos atrás na Inglaterra e no começo deste ano Rick me perguntou: 'vamos tocar juntos de novo?'. Fizemos outra turnê na Inglaterra, gravamos músicas que eram novas para gente e finalizamos isso como um álbum. Rick é um cara muito engraçado, um grande amigo, então tocar com ele é muito relaxante. Nós acabamos de terminar uma turnê pelos Estados Unidos e Canadá e nós gravamos de novo, porque estava diferente do que a última turnê que fizermos no Reino Unido. Então nós gravamos algumas coisas para um novo álbum que será lançado na primavera (de março a junho no Hemisfério Norte). Ele também disse que ia me mandar algumas músicas em janeiro. Nós veremos para onde elas vão porque música é aquilo que explica tudo e te leva a alguma direção.

Terra - Você recentemente colocou para download a música Open. Como você usa a internet para promover sua música?
Jon Anderson - É uma nova experiência através da internet, fazer música com as pessoas, eu fiz Survivors & Other Stories com pessoas de todo o mundo. Então, quando eu fiz Open estava pensando em alcançar o maior número possível de pessoas na internet, porque essa é a nova loja de música. Eu queria ser parte dessa nova experiência, sabe?

Terra - E como a maioria dos artistas, você é contra a pirataria?
Jon Anderson - Eu não me importo nem um pouco com ela. Música é criada para a música e não pelo dinheiro.

Terra - Mas como artistas não tão famosos como você e o Yes vão sobreviver?
Jon Anderson - Eles sempre irão encontrar um caminho, porque necessidade é a mãe da inversão. Então eles vão inventar uma nova maneira que será exatamente como deveria ser.

Terra - E você tem alguma ideia de como será? Já encontrou uma nova maneira de vender música?
Jon Anderson - Sim, tem um site chamado staged.com e você pode fazer um show na sua casa e cobrar US$ 3 ou US$ 5 paras as pessoas verem através da internet. Eu sei que há dois ou três sistemas como esse.

Terra - Você já fez algum?
Jon Anderson - Vou fazer um em janeiro.

Terra - Interessante. E você acha que a música progressiva ainda tem seu espaço hoje em dia?
Jon Anderson - Sempre houve espaço para todos os tipos de música progressiva. Há o progressivo clássico, jazz progressivo, rock progressivo, folk progressivo; música de dança e teatro também é progressivo.

Terra - Mas hoje nós estamos nesta era em que, se a música for maior do que três minutos, ela não será tocada na rádio.
Jon Anderson - Sim. Mas como eu disse, a música não é por dinheiro, é pela música em si. Foi por isso que eu lancei Open, eu acho que ela nunca será tocada na rádio, mas não significa que não posso criá-la.

Terra - E você continua criando músicas longas?
Jon Anderson - Sim, eu tenho uma nova música que devo terminar na próxima primavera, para o verão. Faz parte do meu DNA.

Terra - Quais foram as razões que fez que você deixar o Yes em 1980? E o que fez você voltar dois anos depois?
Jon Anderson - Eu fiquei bastante doente, quase morri. Eu fiz seis operações para tratar de uma obstrução estomacal e eles queriam continuar, fazer dinheiro e shows. Eles não quiseram esperar para eu ficar bem de novo, o que me deixou bem triste, mas eu pensei que as portas estavam abertas para uma nova vida e eu disse 'ok, estou pronto para uma nova vida'. Eu voltei quando fiquei melhor, porque eu tinha muita música no meu coração e continuava criativo.

Terra - E como está o Yes hoje, alguma pretensão de voltar em breve?
Jon Anderson - Eu acho que não. Talvez no futuro porque nós nunca falamos nunca, mas hoje não.

Terra - Mas vocês ainda mantêm contato?
Jon Anderson - Eu tenho contato com Rick e com Trevor Rabin (guitarrista e compositor do Yes entre 1983 e 1995) e falei com Peter Banks (guitarrista original da banda) porque ele ficou bastante doente. Você mantem contato com os amigos quando o tempo é certo, sabe.

Terra - Você tem tocado há mais de 40 anos e hoje está com 67 anos. O que te mantém empolgado com a sua carreira?
Jon Anderson - Eu estou sempre empolgado com a próxima aventura, o mistério de Deus, a próxima música a chegar. Eu sou muito empolgado com minha vida.

Terra - Você disse em 'mistério de Deus'. Você é religioso?
Jon Anderson - Espiritualmente. Somos todos espirituais, mas Deus não tem religião.

Terra - O que você fará no próximo ano?
Jon Anderson - Farei concertos com orquestra, trabalharei com músicos mais jovens, farei mais shows solos e, de novo, trabalharei com Rick na Europa em Outubro. Há sempre algo.
fonte: Terra


Ótima entrevista! Contribuição do maestro do Mustang 65, Ricardo Mann.

Um comentário:

Ricardo Mann e Michele Michel disse...

"Open" não está grátis. Custa $ 3,99 no iTunes. Se alguém conseguir um link 0800 me avise!