sábado, 13 de fevereiro de 2010

Rock Fantasy: Peter Gabriel

Todo ano, quando chega essa época, a única opção na mídia é música de carnaval. Mas não se aflija caro leitor! Assim como nos anos anteriores quando trouxe as colunas Bateria Nota 10 e Rock Enredo, o Experience trará para você mais um quesito fundamental no rock. Em 2010 o destaque é a fantasia, recurso usado por vários artistas para enfatizar suas composições e performance. Pra começar, um pioneiro nesta arte!

Peter Gabriel (que hoje comemora 60 anos!) nasceu na cidade de Chobham na Inglaterra. Ainda adolescente, fundou o Genesis com seus companheiros de escola. As composições da banda davam espaço de sobra para que Peter pudesse contar essas histórias no palco, devidamente paramentado.

Há quem diga que as fantasias que usava eram uma forma de disfarçar sua timidez frente ao público. Mas o fato é que elas eram complexas e variavam de música para música e de turnê para turnê, sempre dentro do tema. Eram tão importantes que algumas ficaram famosas, como "The Flower" (vestida para "Supper's Ready", de Foxtrot), "Magog" (também em "Supper's Ready"), "Britannia" (para "Dancing With The Moonlit Knight," de Selling England by the Pound), "The Old Man" (para "The Musical Box", de Nursery Cryme), "Rael" (para quase todo o álbum The Lamb Lies Down on Broadway) e "The Slipperman" (para "The Colony of Slippermen," também de The Lamb Lies Down on Broadway).

Em 1975, após várias atritos com a banda (alguns deles devido ao fato de centralizar a imagem do Genesis em si), Peter deixou os companheiros partindo para sua carreira solo. Hoje ele abandonou as fantasias em suas turnês, mas não completamente. A performance no palco é parte essencial de sua performance, agora ajudado pela tecnologia farta, disponível nos dias de hoje.

Mais detalhes, com meu especialista em Peter Gabriel, Ricardo Mann!

Parabéns pro cara!

2 comentários:

Ricardo Mann disse...

Os espetáculos atuais dele são cheios de efeitos visuais e muita tecnologia, mas sempre estão relacionados à temática do disco ou da música em questão. Não é uma coisa vazia e sem propósito, como muitos superstars fazem.
Valeu pela homenagem!

Didi disse...

bem que o Caio disse... maiores detalhes com o especiatista. Ricardo Mann... ambos mandaram bem como sempre